Tamanho da Fonte :




SOBRE A GREVE DO DIA 05

Por Direção Geral em 05/12/2017

SOBRE A GREVE DO DIA 05

O Sind-Justiça vinha falando à categoria sobre a importância de aderirmos à paralisação do dia 05, tendo em vista o risco iminente de aprovação da Reforma da Previdência, que prejudica ainda mais os servidores e os trabalhadores em geral.

Fomos surpreendidos na última sexta-feira com o anúncio de que a greve não mais seria realizada, já que o governo teria adiado a votação. Sobre isso vemos dois problemas:

1) A desistência do ato foi um erro, porque se o governo precisou recuar por não ter os votos necessários, mais do que nunca os trabalhadores deveriam ter mostrado a sua força, asfixiando de vez qualquer tentativa de retorno da proposta com um ato forte e que mostrasse a reação dos trabalhadores.

2) A desistência do ato mostrou, mais uma vez, que as picuinhas e disputas entre as centrais ditam o ritmo da reação. Algumas centrais criticaram a decisão divulgada unilateralmente por uma delas, que teve o condão de desmobilizar a maior parte das pessoas, num desserviço à luta dos trabalhadores.

Quem leu a proposta do governo, sabe que o prejuízo para os trabalhadores será enorme. Se for aprovada, trabalharemos muito mais e receberemos proventos menores, enquanto a cúpula deste governo corrupto aposentou-se com pouco mais de 50 anos, ganhando verdadeiras fortunas.

Precisamos estar atentos e reagir a todas as tentativas de ataques aos trabalhadores, não importa de onde venham. Precisamos unir forças para combater este governo, porque se perdermos esta luta, nunca mais conseguiremos recuperar o prejuízo. Precisamos aprender a separar as preferências políticas da necessidade de luta.

Os nossos aposentados, já tão sacrificados, continuam a pagar a previdência mesmo depois de aposentados. E isso começou num governo dito de esquerda. E não está nada fácil reverter. Por outro lado, os trabalhadores estão pagando hoje o preço da recente reforma trabalhista deste governo corrupto de Temer, explorados por propostas que não chegam à metade de um salário mínimo. Então, não importa de onde venha o ataque. Temos que enfrentar e combater todos os que queiram tirar os nossos direitos, arduamente conquistados.

O Sind-Justiça manterá a categoria informada e mobilizada para quando o ato for restabelecido, porque precisamos lutar contra estas mudanças. Vamos realizar palestras e estamos preparando uma campanha de esclarecimento à categoria e à sociedade sobre os riscos desta reforma.

SIND-JUSTIÇA



Últimas 15 Mensagens Publicadas